quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

A vida é mais forte que a morte! - Depoimento do Haiti

Corpo do vigário geral de Porto Príncipe é encontrado junto a relicário

PORTO PRÍNCIPE, quinta-feira, 21 de janeiro de 2010 (ZENIT.org).- Durante a madrugada de terça para quarta-feira, equipes de resgate encontraram o corpo sem vida de Dom Beriot Charles, vicário geral da arquidiocese de Porto Príncipe.

Segundo informa o padre Antonio Sandoval, coordenador regional de Cáritas Latino-americana e do Caribe desde a capital haitiana, “no momento de seu resgate, o monsenhor segurava na mão um relicário com uma hóstia dentro. A todo o momento, o Senhor o acompanhou em seu caminho até Ele”.

O terremoto também matou Dom Joseph Serge-Miot, arcebispo de Porto Príncipe, que estava em sua residência.

A operação de resgate conseguiu salvar uma mulher de 60 anos, cuja identidade ainda é desconhecida, quase seis dias depois do terremoto. Ela foi levada imediatamente ao hospital.

Nessa quarta-feira, continuou explicando o padre Sandoval, “permanecia a busca por sobreviventes e os cuidados médicos”.

“As pessoas chegam com feridas graves em um grau avançado de decomposição. Dezenas de amputações de membros foram necessárias para que as vidas fossem salvas”, acrescenta o sacerdote.

“Os gestos de generosidade permanecem e demonstram que a vida é mais forte do que a morte”, afirma.

Ontem, a Cáritas pôde levar uma grande quantia de ajuda a um bairro pobre de Porto Príncipe, apoiada por soldados norte-americanos.

A Cáritas pôde transportar até o ponto de distribuição uma frota de caminhões com ajuda humanitária integrada por 1.000 cestas básicas para dois dias, junto a garrafas de água, lonas de plástico e alimentos não perecíveis. A ajuda foi entregue às mulheres feridas por um grupo de voluntários de Cáritas Haitiana.

Uma das beneficiadas pela ajuda, Rose St-Preux, de 32 anos, estava trabalhando em uma agência de viagens quando ocorreu o terremoto. Pôde se salvar porque o prédio, mesmo que muito danificado, não desabou. Imediatamente correu até sua casa, a qual já se encontrava completamente destruída.

Agora mora com sua mãe, sua irmã e três irmãos, que milagrosamente se salvaram. Eles vivem junto a outras 60 pessoas, em uma área próxima a Petain Ville Club, ponto onde a Cáritas realiza as doações.

“É muito duro – disse Rose – não termos nada. Esta ajuda da Cáritas é a primeira que recebemos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário