quinta-feira, 27 de maio de 2010

Dias de atividades no Tribunal eclesiástico

Interessante é saber que muitas pessoas pensam que os padres não fazem nada nos dias que não há missa. No meu entendimento as pessoas imaginavam o contrário. Ao falar para muitas das minhas atividades durante a semana o espanto toma conta delas. Comecei a perceber que o que eu pensava estava equivocado. Por isso, que passei nas oportunidades que tinha de falar das coisas que fazia, como reuniões, missas etc. Daí, começaram a dizer que eu era amostrado. Lembrei-me das palavras de Jesus. Para alguns Jesus era um beberrão, para outros um louco, perdido na vida. Continuarei falando das minhas atividades e de tantos outros colegas. Não para amostração, mas para dizer que o que muitos realizam nos outros dias haverá repercussão também no caminho para o Reino de Deus. Ontem e hoje, por exemplo, me dediquei exclusivamente às atividades do tribunal eclesiástico, do qual faço parte. O tribunal é para tratar das causas matrimoniais, ou seja, daqueles irmãos e irmãs que por motivos diversos se separaram e constituíram nova vida matrimonial. E agora querem saber da possibilidade de poder casar novamente na Igreja, já que seus possíveis casamentos anteriores não foram bem e não deram absolutamente certo. No entanto, para isso é preciso entrar com processo, pois na verdade é um processo pra fazer isso. E, porque não dizer, é um processo mesmo! Trabalho com amor e empenho nessa causa, que não deixa de ser dramática, mas ao mesmo tempo magnífica. Podermos colaborar seriamente e vermos a possibilidade de tantas pessoas poderem refazer sacramentalmente sua vida. Todos podem se casar de novo? Sim e não! Como já falei é preciso um longo processo, que exige inúmeras etapas. É impossível? Também não! Continuarei depois falando sobre isso. Se tiver alguma dúvida sobre o assunto deixe seu comentário com pergunta. Responderei com prazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário