sexta-feira, 4 de junho de 2010

Crime bárbaro e reprovável - rezemos pela Igreja

Vigário apostólico na Turquia é morto a facadas
Por Antonio Gaspari
ROMA, quinta-feira, 3 de junho de 2010 (ZENIT.org). - "É horrível, um fato horrível", "inacreditável", "estamos consternados". Com estas palavras, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi SJ, classificou a notícia da morte de Dom Luigi Padovese, assassinado a facadas nesta quinta-feira na Turquia.



"O ocorrido - disse o Pe. Lombardi - é terrível (...), assim como outros episódios de violência semelhante na Turquia, como o assassinato do Pe. Santoro há alguns anos", comentou, acrescentando: "Oremos para que o Senhor o recompense por seu grande serviço pela Igreja e para que os cristãos não desanimem, prosseguindo em seu testemunho tão forte e continuando a professar sua fé na região".



Dom Luigi Padovese, vigário apostólico da Anatólia e presidente da Conferência Episcopal Turca, foi atacado a facadas em sua casa em Iskenderun por seu motorista particular, Murat Altun.



O assassino foi preso pela polícia. Segundo declarações do governador da província de Hatay, Mehmet Celalettin Lekesiz, divulgadas pelo canal de televisão turco NTV, as primeiras investigações feitas pela polícia indicam que "o crime não teve motivações políticas ou religiosas (...); o suspeito apresenta distúrbios psicológicos e estava em tratamento psiquiátrico".



Segundo o núncio apostólico na Turquia, Dom Antonio Lucibello, ainda não há informações precisas sobre a tragédia "o que sabemos é que o autor do crime foi seu motorista, uma pessoa que Dom Padovese sempre tratou muito bem, como era próprio de sua índole".



A Conferência Episcopal Italiana (CEI) reagiu imediatamente. Em uma mensagem enviada ao Núncio apostólico na Turquia, o presidente da CEI, cardeal Cardinale Angelo Bagnasco, e o secretário geral da CEI, Dom Mariano Crociata, expressaram "profundo pesar" pela morte de Dom Padovese.



"Enquanto deploramos este bárbaro assassinato - sublinharam os representantes da CEI - nos unimos à dor dos fiéis desta igreja que, mais uma vez, é tão duramente atingida, e expressamos proximidade e solidariedade, nossa e de todo o episcopado italiano."



Por sua vez, o presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) e arcebispo de Ezstergom-Budapeste, cardeal Péter Erdő, divulgou um comunicado no qual manifesta "o máximo pesar" pela notícia, oferecendo, em nome do Conselho, "nossa solidariedade para com toda a Igreja Católica na Turquia".



"Em nome da presidência do CCEE e de todos os bispos da Europa - diz o cardeal em seu comunicado - desejamos dar testemunho de nossa comunhão na oração e expressar nossa solidariedade aos bispos, sacerdotes, consagrados e todo o povo cristão da Turquia. Seu sofrimento é também o nosso."



Dom Padovese, de 63 anos, viajaria ao Chipre na sexta-feira para se reunir com o Papa Bento XVI, que falará sobre a violência contra minorias cristãs no Oriente Médio durante sua visita apostólica à ilha, que se realizará de 4 a 6 de junho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário