sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Artigo interessante do Padre Zezinho...leiam

04/10/2010


VOTAR EM QUEM VOTAMOS


O fato de irmos às urnas revela democracia, mas o fato de os brasileiros terem votado em quem votaram revela a qualidade da nossa democracia. Com o tempo terá que ser aperfeiçoada, a ponto de não permitir que certos cidadãos concorram à câmara e ao senado, nem mesmo à presidência da república. E tais exigências não irão contra os direitos humanos: vetá-los será impedir o pior.



Não exigimos que o advogado, o juiz e o médico tenham qualificações para exercer sua função? Não se espera do engenheiro que tenha qualificação para erguer edifícios, pontes e barragens? Pelo bem as pessoas e de populações inteiras exige-se dos que fabricam estradas, carros, aviões, moradias, remédios e usinas que saibam o que fazem; não podem ser inidôneos.



Então, por que proibir apenas os corruptos? Vetemos também os analfabetos, os tão pouco alfabetizados que mal conseguem ler um documento. Exijamos que entendam de leis, de administração, de História e Sociologia. Precisam provar que estudaram, leram e sabem o suficiente para legislar ou governar. Não basta ser simpático, ser dono de firma ou cantor ou comediante, pregador religioso ou sujeito popular. Permitir que se candidatem é democrático. Mas, se queremos democracia com mais conteúdo exijamos deles o que se exige dos que interferem na natureza ou na vida humana. Fazer política é lidar com vidas! Ora, um eleito que nem sabe no que vota, ou que vota no que lhe mandam votar, pra começo de conversa nem deveria ter sido candidato. Você aceitaria ser operado no coração por um sujeito simpático e brincalhão que nem sequer sabe o que é um ventrículo esquerdo? Pois há políticos que simplesmente não conhecem ao alcance das leis que são chamados a votar.



Procure saber que vereadores e deputados o Brasil andou elegendo. Votar em quem promete que vai destruir a democracia? Votar em quem ridiculariza a função que exercerá? Se você fez isso como protesto fez como o sujeito que de raiva, balançou o galho que o separava do abismo. Um dia, o galho quebra! Se você é religioso e tem alguma dúvida sobre a nossa atual prosperidade, leia o livro de Amós. No Brasil de hoje ele seria ridicularizado. Mas o que ele predisse, aconteceu!

http://www.padrezezinhoscj.com/interna.php?arquivo=ok&flag_area=palavra&id_palavra=141

Nenhum comentário:

Postar um comentário