quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A virtude da humildade

Eis uma virtude que todos devemos aspirar. "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração" (Mt 11, 29). O contrário da humildade é a arrogância, o orgulho. Tudo isso nos impede de nos aproximarmos de Deus. Sem ela acreditamos que toda nossa força e empenho deriva de nós mesmos, de nossa força própria. Somos aquilo que somos, porque queremos ser assim, e seremos desse modo até quando quisermos. Enfim, nada tem a ver com Deus. A virtude da humildade é exigente. Isso mesmo "exigente". O Outro tem total importância na minha vida. Esse Outro é Deus. Maria Santíssima compreendeu isso de forma estupenda. Abandonou todo seu projeto, toda sua vida por Ele: "Eis a serva do Senhor!" (Lc 1, 38); "A minh'alma engrandece o Senhor...o Todo Poderoso fez grandes coisas em mim" (Lc 1, 46, 49). Todos os Santos e Santas, cada um a seu modo, vendo a ação de Maria entenderam também essa dinâmica. Lançaram-se nas mãos de Deus. Viram que sem Deus não somos nada. O exercício da virtude se dá no cotidiano da vida. Peço sempre a Deus, para que afaste de mim e dos irmãos e irmãs as tentações do mal, em querer nos fazer pensar que somos absolutos e donos da vida. As últimas festividades litúrgicas vivenciadas na Igreja - Todos os Santos e Finados - nos apontam para essa realidade. Estamos nesse mundo, mas voltaremos um dia para Deus, para o seu seio, para a morada eterna. Que o Senhor nos ajude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário