sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Não há reforma da Igreja sem conversão

Papa apresenta vida de São Roberto Belarmino, o “bispo simples”

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - Apesar de ser o sobrinho de um papa e tendo vivido a maior parte de sua vida nos "ambientes mundanos" do governo e da diplomacia, o Papa não hesitou em propor hoje a figura de São Roberto Belarmino, como modelo de bispo "simples e cheio de zelo apostólico".



Deste santo, que escreveu várias obras de espiritualidade e doutrina, além de ter contribuído grandemente para a Igreja dos séculos XVI e XVII, o Papa quis destacar seu perfil como um homem de oração e contemplação.



"Belarmino ensina com muita clareza e com o exemplo de sua própria vida que não pode haver uma verdadeira reforma da Igreja, se antes não acontece nossa reforma pessoal e a conversão do nosso coração", sublinhou o Papa.



Roberto Belarmino (1542-1621) foi uma figura fundamental para a Igreja da Contrarreforma, ao sistematizar a concepção da Igreja, em resposta à crise provocada pela Reforma luterana.



Nascido em Montepulciano (Itália), entrou muito jovem na Companhia de Jesus. Primeiramente, foi professor de teologia em Lovaina e Roma, época em que elaborou uma de suas obras mais famosas, Controvérsia.



"O Concílio de Trento tinha terminado pouco tempo antes e, para a Igreja Católica, era necessário reforçar e confirmar sua identidade também no que diz respeito à Reforma Protestante. A ação de Belarmino se insere neste contexto", explicou o Pontífice.



Sua obra constitui, afirmou, "um ponto de referência, ainda válido para a eclesiologia católica, sobre as questões acerca da Revelação, da natureza da Igreja, dos sacramentos e da antropologia teológica".



"Nelas, acentua-se o aspecto institucional da Igreja, devido aos erros que estavam circulando sobre tais questões."



Nesta obra monumental, que tenta sistematizar as várias controvérsias teológicas da época, o santo "evita todo tom polêmico e agressivo com relação às ideias da Reforma, usando os argumentos da razão e da Tradição da Igreja para ilustrar de maneira clara e eficaz a doutrina católica", destacou o Papa.



Apesar de ser brilhante como teólogo, prosseguiu o Papa, seu legado "consiste na maneira como ele concebeu seu trabalho. Os trabalhos tediosos de governo não o impediram, de fato, de caminhar rumo à santidade, na fidelidade às exigências do seu próprio estado de religioso, sacerdote e bispo".



"Sendo - como sacerdote e bispo -, em primeiro lugar, um pastor de almas, ele sentiu o dever de pregar assiduamente", explicou.



"Sua pregação e suas catequeses têm esse mesmo caráter de simplicidade que ele recebeu da educação jesuíta, toda dirigida a concentrar as forças da alma em Jesus, profundamente conhecido, amado e imitado."



São Belarmino oferece "um modelo de oração, a alma de toda atividade: uma oração que escuta a Palavra do Senhor, que é preenchida com a contemplação da grandeza, que não se fecha em si mesma, que se alegra em abandonar-se nas mãos de Deus".



O santo, "que viveu na pomposa e muitas vezes insalubre sociedade dos últimos anos do século XVI e início do século XVII, esta contemplação inclui aplicações práticas e projeta a situação da Igreja do seu tempo com a corajosa inspiração pastoral".



Suas obras, concluiu o Papa, "nos lembram que o objetivo da vida é o Senhor, o Deus que se revelou em Jesus Cristo, em quem Ele continua nos chamando e prometendo-nos a comunhão com Ele".



"Elas nos recordam a importância de confiar no Senhor, de viver uma vida fiel ao Evangelho, de aceitar e iluminar, com a fé e a oração, toda circunstância e toda ação da nossa vida, sempre ansiando a união com Ele."

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Novos desafios

Com muita animação assumi uma nova paróquia, como havia falado aqui noutra ocasião. Novos desafios, portanto, vão surgindo. Esta tem em torno de 20 comunidades, que precisam de uma reanimação geral em todos os aspectos. Uma das grandes dificuldades atualmente no Nordeste, em relação às Paróquias, é aplicar elementos importantes de administração. A maioria das pessoas confundem animação pastoral com administração. O que dificulta o empenho e crescimento comunitário em geral. Administrar uma paróquia pressupõe disponibilizar ferramentas que agilizem o processo de evangelização, levando a todos a uma consciência cristã formada. Contudo, chegaremos lá. Enfim, quero dizer que estou animado e agradecido ao Senhor por mais uma vez me ter dado a possibilidade de animar uma porção do Povo de Deus. Oremos uns pelos outros.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Jornada Paroquial da Juventude

Esse domingo se realizou na paroquia a Jornada Paroquial da Juventude. Foi bem legal e participativa. O modelo final não foi da forma pensada inicialmente, mas valeu a pena mesmo assim. A partir da Jornada Paroquial se deu início à Pastoral de Juventude (PJ). É uma forma de articulação da juventude em geral. O desejo é de crescimento da juventude e entrosamento dos grupos paroquiais de juventude. Agradeço de coração a todos os jovens que se empenharam para o encontro. Deus abençoe a todos.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Atividades e atividades

A todos peço desculpas pela ausencia nesse blog. Nos ultimos dias foram inumeras atividades, e novos compromissos assumidos. Além da Paroquia que anunciei aqui, também assumi algumas aulas na universidade catolica. Tudo isso me fizeram parar algumas coisas por hora. Mas pretendo retomar meus escritos aqui. Felicidades a todos e todas.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Primeira semana de atividades paroquiais

Essa semana foi de organização e reestruturação da casa paroquial, como também de encontros e reuniões com diversos grupos da comunidade. Algumas posições e decisões já foram tomadas para o bom andamento das atividades. Depois posto o discurso que fiz na posse. Enfim, estou contente e apreciando a animação do povo da paróquia. Espero que continuem animados para a missão e empenhados na vida paroquial.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Festa da Apresentação do Senhor



Hoje é uma data significativa para a Vida Religiosa. Hoje foi instituído pelo Papa João Paulo II como o Dia dos Religiosos e consagrados. Muitos religiosos completam bodas. Rezemos pelos religiosos e religiosas e consagrados ao Senhor pela dedicação à Igreja de Cristo. A todos os consagrados e consagradas e religiosos e religiosas pelas datas significativas nesse dia nossos parabéns. Hoje faço 14 anos de vida religiosa. Rezemos uns pelos outros.

Festa da Apresentação do Senhor

22Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor. 23Conforme está escrito na lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor”.


24Foram também oferecer o sacrifício — um par de rolas ou dois pombinhos — como está ordenado na Lei do Senhor. 25Em Jerusalém, havia um homem chamado Simeão, o qual era justo e piedoso, e esperava a consolação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele 26e lhe havia anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor.


27Movido pelo Espírito, Simeão veio ao Templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir o que a Lei ordenava, 28Simeão tomou o menino nos braços e bendisse a Deus: 29“Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz; 30porque meus olhos viram a tua salvação, 31que preparaste diante de todos os povos: 32luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel”.


33O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele. 34Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: “Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. 35Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma”.


36Havia também uma pro­fe­tisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido. 37Depois ficara viúva, e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 38Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.


39Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. 40O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.

Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor!