sábado, 29 de março de 2014

O Brasil que nós queremos...

Sabemos como anda o nosso Brasil hoje: violência gratuita e de todo tipo, desrespeito aos direitos humanos, descriminação de todo tipo, desmandos inadmissíveis do governo e do Estado, descompromissos das instituições republicanas etc. Contudo, nada disso justifica o retorno a tempos passados, no meu entendimento. Uma vez que temos consciência de tudo isso, toca-nos é mudar por meio do debate, do movimento e manifestação pacíficos e, com a arma mais correta, o VOTO. Temos que sair e fugir de uma mentalidade serviçal. Político não é nosso patrão, mas alguém que foi posto para atender nossas necessidades. Digo nossas e não individuais. Educação de qualidade para todos, saúde de qualidade para todos, serviços de qualidade para todos e assim por diante. Não temos que ter medo de político. Temos que respeitá-lo, pois é gente como nós, mas cabe também cobrar dele quando necessário. Um Estado melhor, um país melhor, uma nação avançada requer, acima de tudo, respeito de uns para com os outros, a começar daqueles que foram postos à frente. E se não estão dando certo, pois os fatos não mentem, nada melhor que tirá-los por meio do VOTO. Sem nenhum problema ou cara feia. Devemos exercer nossos direitos pelo VOTO e por outros meios dados pela nossa própria Constituição. Cabe aos líderes religiosos e outros de sã consciência colaborarem para a construção de um país justo e fraterno. Não é utopia, é trabalho mesmo. Requer tempo, mas tudo é possível para aquele que crê (Mc 9,23). Nosso Senhor Jesus Cristo nos ajude nessa Terra da Santa Cruz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário